Simbora realiza evento com 108 jovens competidores

O Simbora, evento de inovação e empreendedorismo da Dom Helder e EMGE, iniciou na noite da última sexta-feira (10), com a presença de 108 competidores inscritos. A mesa de abertura contou com a presença do professor José Antônio, pró-reitor de pesquisa da EMGE, e dos apoiadores Davina Braga (CREA-MG), Valéria Vasconcelos (presidente do IBAPE-MG), Cristiano Rolfs e Flávia Lages (Banco Inter). 

A Flávia, estagiária de Banco de Dados no Banco Inter,  disse que “é legal realizar um evento como esse, porque oferece ao estudante a oportunidade de ter uma visão de mercado, vivência de mercado, amadurecimento de ideias, noção de processo de criação de produto, de todas as vertentes de criação e de análises fora da caixa.”

Foram montados 18 grupos de seis integrantes cada e Presleyson Lima realizou um workshop de ideação, motivando os participantes a irem à fundo com as ideias e se prepararem para a dinâmica. Em seguida, as empresas BuyCo., Ciatlus Engenharia e Mobil.us apresentaram os cases de problemas e o que ofereceriam para os grupos vencedores – como palestras, mentorias, estágios, trainee e mais.

Giovanna Jeromel, Marcos Paula e André Alves, representantes da BuyCo., falaram que foi interessante levar o desafio para o meio acadêmico porque, além dela ser uma empresa jovem, grande parte dos líderes são jovens também. “Aqui os alunos formam uma equipe muito jovem, e o que a gente quer é justamente uma pegada mais tecnológica, mais jovial, porque nosso objetivo é continuar sendo a maior tech do Brasil. A ideia é ter vários estudantes de diversas áreas, e a própria BuyCo. é assim. Esse é nosso público alvo em questão profissional”, contou Giovanna. A BuyCo. tem uma grande lista de empresas sendo vendidas e muitas delas são para empresas do mesmo ramo ou concorrentes. Hoje, ela precisa encontrar pessoas vistas com poder aquisitivo e know-how para conseguirem comprar empresas de menor porte, que não ainda não chamam atenção de grandes empresas, mas que têm potencial de crescimento se forem compradas pelas pessoas ideais. Então, a BuyCo. atribuiu como desafio para os integrantes do Simbora uma estratégia para conectar a oportunidade da venda com essas pessoas físicas. Além de encontrar uma pessoa que já esteja engajada, ela também tem que ser preparada e querer. Marcos acrescentou dizendo: “A gente acredita na pluralidade de ideias. Pessoas com ideias diferentes e bagagens diferentes tendem a agregar o produto final e na experiência do dia a dia. Todo mundo sai ganhando”.

As equipes tiveram 10 minutos entre cada apresentação para se planejarem e escreverem as propostas para soluções dos problemas, com vários profissionais mentores disponíveis para auxiliá-las. Daiane Dias, mentora no Simbora, tem experiência há mais de 12 anos em negócios e disse que o Direito, área em que é formada, possibilita viabilizar vários outros campos. “Ele, com estratégia, possibilita que você possa fazer negócios mais assertivos, duradouros e eficientes. A dinâmica do Simbora traz uma variedade de perguntas possíveis para instigar o pensamento, a reflexão, a busca por resultados, a busca por propostas de discussões. Então acredito que essa experiência possibilita fazer perguntas orientadoras”, completou.

Cada empresa selecionou os grupos que apresentaram as melhores propostas e foram alocados entre elas. Enquanto os participantes criaram os nomes para as equipes, a Hype Energy Drink ofereceu energéticos para todos presentes.

No sábado (11), os estudantes passaram o dia recebendo orientações das empresas, workshop de PM Canvas, treinamento de pitch e, principalmente, produzindo os projetos. A noite foi de muita interação e pizza.

Júlia Alves Garcia, do Colégio Cotemig, teve a primeira experiência em um hackaton e disse que se interessou pelo evento por gostar muito de temáticas relacionadas à inovação e sustentabilidade. “É algo que tem que estar em pauta nos dias de hoje e a geração que está vindo necessita de ter mais conscientização em relação a isso. É para isso que tenho me dedicado tanto e, quando vi, fiz a inscrição na hora”, contou. Ela convidou amigos para também se inscreverem e participarem desta edição do Simbora, e disse: “foi uma experiência muito incrível, que demanda muita pressão fazer canva, MVP, formulário de validação, e, com certeza, irei participar das próximas edições que tiverem.”

O domingo (12) foi dia de entrega dos projetos e apresentações das soluções. As equipes premiadas foram:

Role Play – vencedora representante da Mobilus

Co.Finder – vencedora representante da BuyCo.

7 Seven Corp – vencedora representante da Ciatlus

Por fim, as três foram para a banca final, defendendo seus trabalhos e ideias, e a equipe Role Play foi a campeã. Para contar um pouco sobre a experiência da competição, Diogo Machado, membro da Role Play e aluno do Direito Integral, disse: “O primeiro dia foi muito impactante. Cheguei sem perspectiva, não conhecia ninguém. Montamos o grupo de forma aleatória. No primeiro momento tivemos a fragilidade de sermos todos do Direito, só que observei, principalmente na Mobil.us, a questão de uma inovação, uma nova forma de pensar. Como sou fã de RPG, pensei que é um gênero que consegue promover o trabalho em equipe e, ao mesmo tempo, valoriza as características. Então acho que tinha tudo a ver com a minha proposta, que seria integração do trabalho e da produtividade, de forma lúdica e simples.” Foi a primeira experiência de Diogo com o hackaton e disse que ficou muito satisfeito com o resultado. Ele tinha interesse em empreender e viu o hackaton como uma oportunidade de exercer sua vontade, de viver a prática. “Eu vi como a criatividade é importante para isso, então ampliou muito minha perspectiva”, finalizou.