Esquadrão Quero-Quero: final com quebra de recordes e participação da EMGE

A EMGE esteve presente na final do projeto Esquadrão Quero-Quero, realizada no domingo (30). A Escola foi representada pelos professores Aline Oliveira e Plínio Santos, e pelo estudante Matheus Carvalho Santos. O professor Plínio é voluntário do projeto há dois anos e o Matheus participou da competição em 2017. Hoje é também voluntário. “Todos ficaram muito emocionados com os resultados ao final da competição, demonstrando muita gratidão e um grande entusiasmo para a próxima edição”, comentou o professor Plínio. “Nessa edição também teve uma quebra de recordes. O planador da equipe Bin-Laden ficou mais tempo no ar e ainda chegou ao final do espaço demarcado e até o ultrapassou. Foi o melhor voo que já vi na minha vida. Como resultado, ganharam a competição. Resumindo, foi um dia para ficar na memória”, lembrou Matheus.

A equipe Bin-Laden é formada por alunos da escola Estadual Caminho a Luz e conquistou o campeonato com um voo de quase 70 metros de distância. De acordo com o professor Plínio, cada aluno da equipe foi premiado com um drone. As equipes também foram agraciadas com menções honrosas, devido a assiduidade no projeto, planador mais leve, qualidade construtiva, trabalho em equipe, produtividade e equipe mais engajada. Todos os alunos receberam certificados de participação.

Lembranças

Em 2017, Matheus Carvalho disputou a primeira edição do projeto com a equipe Esquadrão Barão-Vermelho, experiência que ficou marcada em sua memória. “Lembro como se fosse hoje, o sábado amanheceu chuvoso e praticamente não dormi a noite de tão ansioso que estava. Finalmente havia chegado o esperado dia da competição! Trabalhamos incansavelmente durante os sábados, por cinco meses, fazendo cálculos, elaborando e testando os dois planadores que construímos. Começamos muito bem, mas por uma série de fatores terminamos em terceiro lugar. Apesar de não termos ganhado, estávamos felizes, o nosso planador voou muito bem e víamos que tínhamos feito um excelente trabalho em equipe. Saí de lá com a sensação de trabalho feito. Graças a esse projeto brilhante decidi cursar Engenharia”, contou o estudante.

No último domingo (30), Matheus retornou para a segunda edição da competição. “Quando cheguei, as lembranças de um ano atrás voltaram e me senti orgulhoso de estar lá novamente, agora apenas como voluntário. Reparei que as equipes eram muito unidas, todos desejando sorte e incentivando uns aos outros”, completou.

Sobre o projeto

O Esquadrão Quero-Quero é oferecido pela Associação Efigênia Vidigal de Educação e Cultura (AVEC) e este ano contou com apoio e patrocínio da EMGE. O projeto é dirigido por voluntários que atualmente são engenheiros, professores e alunos de engenharia. A atividade é direcionada aos nos alunos de ensino médio das escolas públicas e tem o potencial de despertar o gosto e o entusiasmo em aplicar os conhecimentos de sala de aula através da execução de um projeto de uma aeronave que voe sem o uso de motorização, denominado aqui de miniplanador. A competição é dividida em etapas de aulas teóricas, projeto, construção, e, por último, a competição. Na competição, os planadores devem ser lançados a mão, através de uma plataforma. Ganha a equipe que conseguir obter um voo mais longo, tanto na distância, quanto no tempo. As regras são definidas em um regulamento.

Texto: Thiago Ventura/Plínio Santos/Patrícia Azevedo/Matheus Carvalho