Entrevista

Energias renováveis, setor de tecnologia, construção civil, biomedicina, indústria eletroeletrônica, telecomunicações. Muitas são as possibilidades de atuação para o engenheiro eletricista, mesmo em tempos de crise. A análise é da professora Aline Almeida da Silva Oliveira, da Escola de Engenharia de Minas Gerais (EMGE). 

“O tema de energias renováveis é destaque atualmente. Existem muitas oportunidades na geração de eletricidade por hidrelétricas, usinas movidas a biomassa e energia eólica. Outra tendência muito forte atualmente é a ampliação e modernização dos serviços de telecomunicação no Brasil, com destaque para a internet e a TV digital”, aponta. 

Com mestrado e doutorado pela UFMG, Aline possui experiência na área de materiais nanoestruturados, materiais anfifílicos, catálise e química ambiental. Foi vencedora do Prêmio Inventor Petrobrás, em 2013, e de competições internacionais de Empreendedorismo Tecnológico. Em 2015, assumiu a coordenação do curso de Engenharia Elétrica da EMGE. 

“O Engenheiro Eletricista graduado pela EMGE terá um diferencial. Ele será bem formado em todas as áreas de conhecimento em que pode atuar, mas sempre com um olhar de engenharia sustentável”, destaca.

Em entrevista ao portal Dom Total, a professora detalha a proposta e a grade do curso, comenta as características que o estudante de engenharia elétrica deve possuir e avalia as oportunidades da área.

Confira!