EMGE marca presença em importante evento de Geotecnia

 

Gissele Rocha apresenta trabalho sobre a estabilização química de solos.

Por Gissele Rocha
Professora da EMGE

Entre os dias 14 e 16 de agosto de 2019, a Escola de Engenharia de Minas Gerais (EMGE) marcou presença no IX Congresso Brasileiro de Geotecnia Ambiental (Regeo 2019) e no VIII Congresso Brasileiro de Geossintéticos (Geossintéticos 2019), realizados em São Carlos (SP), numa promoção da Associação Brasileira de Geossintéticos (IGS/Brasil) e da Associação Brasileira de Mecânica dos Solos e Engenharia Geotécnica (ABMS).

Os eventos foram organizados pela Escola de Engenharia de São Carlos da Universidade de São Paulo (EESC-USP) e pelo Departamento de Engenharia Civil da Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR), com o objetivo de discutir as aplicações técnicas, aspectos teóricos e práticos, e pesquisas relacionadas às áreas de geossintéticos e geotecnia ambiental.

A professora Gissele Rocha, que leciona as disciplinas de Mecânica dos Solos I e II (teórica e prática) na EMGE, participou com o trabalho intitulado: “Comparação entre as Resistências Mecânicas de Misturas Solo-cal e Solo-ligante Ativado Alcalinamente”. Nesta oportunidade, a professora apresentou aos congressistas um pouco do trabalho desenvolvido no mestrado e que continua a ser pesquisado no doutorado, realizado na Universidade Federal de Viçosa (UFV).

A apresentação oral destacou aspectos importantes dos tipos de estabilização química de solos mais utilizados na atualidade. A estabilização ou melhoramento de solos consiste na alteração de algumas propriedades geotécnicas dos solos, tornando-os capazes de responder de forma satisfatória às solicitações previstas nos projetos de engenharia. O uso da cal como aditivo no tratamento de solos é um dos mais antigos métodos de estabilização química conhecidos, tendo como consequências a melhoria na trabalhabilidade e na resistência mecânica do solo tratado. Já a ativação alcalina recentemente vem sendo exporada no desenvolvimento de materiais para os mais variados setores tecnológicos. Pesquisas têm mostrado o enorme potencial desta técnica para se tornar uma alternativa ao cimento Portland e à cal, que em sua produção, liberam enormes quantidades de gases poluentes à atmosfera.

A participação em congressos (e eventos profissionais e acadêmicos em geral) é de suma importância para se manter atualizado sobre as novidades da sua área de atuação de trabalho. Congressos são os principais encontros acadêmicos e profissionais dos quais pode-se participar. Normalmente, eles contam tanto com palestras, quanto com grupos de trabalho (nos quais autores apresentam trabalhos e pôsteres) e wokshops práticos. São vários temas que se relacionam com uma área, ou um assunto maior. Cada painel costuma dar um aprofundamento teórico e prático distinto. Posteriormente, os ouvintes presentes têm a oportunidade de formular perguntas e comentários.

A professora já participou de vários eventos e ressalta que, em congressos, depara-se com conteúdos relevantes e bastante atualizados, que são passados pelos palestrantes. A participação possibilita o contato com profissionais que já atuam no mercado e com acadêmicos de outras áreas e instituições, o que acarreta uma grande troca de experiência, conhecimento, ideias e quem sabe uma futura parceria para um novo negócio.

Confira as fotos: