Dom Helder e EMGE firmam convênio com universidade libanesa

Um importante passo rumo à internacionalização foi concretizado, nesta sexta-feira (15), pela Escola Superior Dom Helder Câmara e pela Escola de Engenharia de Minas Gerais (EMGE). Em aula magna que marcou a abertura solene do ano letivo de 2019, as instituições inauguraram suas relações com o Oriente Médio, por meio da assinatura de convênio com a Universidade Saint Esprit de Kaslik (Usek), no Líbano. O escritor e professor Roberto Khatlab, diretor do Centro de Estudos e Culturas da América Latina (Cecal) da Usek, representou a instituição e proferiu palestra aos estudantes, discutindo aspectos da história, da cultura e da vida universitária do país.

Brasileiro naturalizado libanês, Khatlab mora há 30 anos em Beirute, de onde acompanha com atenção os acontecimentos que movimentaram a região nas últimas décadas. “De 1975 a 1990, o Líbano passou por uma guerra civil. Foi nesse período, nos últimos anos do conflito, que fui para lá, terminei meus estudos, trabalhei e formei família”, contou. De acordo com o professor, o país é conhecido como ‘a fénix do Oriente Médio’, por ter sido reconstruído após a guerra civil e em outros importantes momentos de sua história. “Por lá passaram os fenícios, há 7 mil anos, e tantos outros povos – os persas, gregos, romanos, árabes, otomanos, entre outros, sempre querendo conquistar a região. Cada um desses povos construiu os seus templos. As maiores ruínas do Império Romano hoje se encontram no Líbano e, mesmo em Roma, não há sítios deste tamanho. O Líbano é considerado um museu a céu aberto”, afirmou Khatlab.

Veja a notícia completa e o álbum de fotos!