‘Demoday’ apresenta resultados no setor da mineração na EMGE

Apresentar resultados e melhorias na mineração. Aprimoramento e uso de tecnologias que podem ajudar o setor. Desenvolver soluções inovadoras para as mineradoras. Foi por meio do evento Demoday – Hub da Mineração, que várias startups tiveram a oportunidade de apresentar os resultados de meses de estudos e desenvolvimento de projetos  em parceria com as principais empresas do setor.

O evento, que teve parceria da Dom Helder Escola de Direito e da Escola de Engenharia de Minas Gerais (EMGE), por meio do Núcleo de Ensino Personalizado (NEP), foi realizado no auditório das instituições, na noite dessa terça-feira (11).

Durante a abertura, o reitor da EMGE, Franclim Brito, enalteceu os trabalhos realizados pelo Mining Hub e explicou como a Dom Helder e EMGE utilizam a inovação e tecnologia nas escolas. “Hoje, grande parte do nosso processo de metodologia, além de salas de aulas ativas, está relacionada e submetida à tecnologia como forma de instrumento para o ensino. Espero que com esse evento a gente possa aprender um pouco mais nesse período de inovação”, disse.

Para o organizador do encontro e responsável pela operação do Mining Hub, o professor Vinícius Bortolussi Roman, a reunião de várias startups no mesmo evento é uma grande oportunidade de discussão e aprendizado. “O Demoday marca o encerramento de um ciclo no qual vamos apresentar resultados do Mining Hub, o hub da mineração. Contamos com a presença de 21 mineradoras e 17 fornecedores da cadeia de mineração. Hoje, os principais players de mineração estão trabalhando juntos visando desenvolver soluções inovadoras para o setor”, explica.

Nascida em outubro, a iniciativa discute temas para fortalecer o setor da mineração a fim de torná-lo mais sustentável. “Temos apoiado o desenvolvimento de vários projetos e hoje apresentamos alguns resultados interessantes como, por exemplo, a startup Laminatus que utiliza rejeito de mineração para fazer construções sustentáveis, e a startup I9 Mining, que nos traz o conceito de monitoramento preditivo da umidade em estruturas geotécnicas. Logo, tudo que observamos aqui hoje soma forças para construir o futuro de uma mineração mais sustentável e fazer com que eventos recentes (Brumadinho e Mariana) não ocorram mais”, diz, referindo-se aos rompimentos de barragens de rejeitos de mineração que ocorreram nos últimos anos.

Vinícius explica também que o Mining Hub é uma iniciativa colaborativa do setor e desenvolve várias temáticas comuns a todos os players, buscando soluções para os desafios enfrentados atualmente. “As startups trabalham com soluções para: gestão de água, resíduos e rejeitos, segurança operacional, eficiência energética e eficiência operacional”, afirma.

Para o organizador, trazer eventos de startups para a academia é uma importante ferramenta e complemento para o aluno que deseja unificar a tecnologia com suas profissões. “Não só na Dom Helder, mas na EMGE, também, há sinergia entre as iniciativas que a gente vem fazendo no mercado. Na última semana realizamos um seminário sobre  lawtechs,  por meio do Núcleo de Ensino Personalizado da Dom Helder – NEP, voltado para inovações no setor jurídico. Agora, com esse evento, o alvo evidenciado é a inovação na Engenharia. Fato é, que podemos unificar o Direito à  Engenharia e outras áreas do conhecimento, fazendo com que as inovações sejam percebidas pela comunidade acadêmica como um todo”, conclui.

Apoiando eventos desse porte, a Dom Helder e a EMGE fortalecem seu posicionamento inovador e ofertam conteúdos de ponta para seus estudantes. “Estamos muito satisfeitos com os resultados do seminário de Lawtechs e com o demoday de hoje. Nosso objetivo agora e expandir as atividades de inovação e fortalecer ainda mais o posicionamento da Dom Helder e da EMGE”, pondera Vinícius Roman, que é o professor responsável pelo seminário.