Atendimento: (31) 2125-8865 contato@emge.edu.br

Apresentação do curso

A Engenharia Elétrica visa contribuir ao desenvolvimento humano e social, bem como o progresso regional e nacional na medida em que suas práticas permeiam as exigências hodiernas mercadológicas que pressupõem valores ambientais agregados, bem como tecnologia avançada e fundamentada em práticas sociais e conhecimentos tradicionais das ciências exatas. Outro fator importante que se incorpora a este ramo da Engenharia é a habilidade tecnológica que pressupõe raciocínio lógico e sistêmico, que deverão ser empreendidos na consecução produtiva comprometida com os ramos empresariais e de prestação de serviço, uma vez que a qualificação do Engenheiro Elétrico é generalista e, por isso, indispensável à realização racional e equilibrada dos recursos disponíveis para o crescimento econômico e a otimização do trabalho.

 

Por que estudar Engenharia Elétrica na EMGE?

O curso de Engenharia Elétrica da EMGE situa-se entre os melhores do Brasil, conforme atestado pela avaliação in loco realizada por uma Comissão de Especialistas composta por Engenheiros Eletricistas do INEP (Órgão Oficial de Avaliação do Sistema Federal de Ensino ligado ao MEC). A avaliação ocorreu nos dias 24/05/2015 a 27/05/2015 (Prot. nº 201406371; Cód. MEC nº 977980; Cód. Aval. nº 117535). 

Os laboratórios do Curso de Engenharia Elétrica têm tecnologia avançada com o que existe de mais inovador e tecnológico a fim de formar o profissional altamente capacitado para enfrentar os desafios da atualidade. Por isso, também os laboratórios de Engenharia Elétrica da EMGE obtiveram Conceito Máximo no MEC.

 

Rede Internacional com Ensino Personalizado 

Ao ingressar no Curso de Engenharia da EMGE, você é admitido a uma rede internacional de universidades. 

É uma Rede Internacional de Universidades com aproximadamente 500 (quinhentos) anos de tradição na educação e uma metodologia de ENSINO PERSONALIZADO. A Pedagogia de Santo Inácio de Loyola (Pedagogia Inaciana) é desenvolvida pela EMGE especificamente para os Cursos de Engenharia. Através da Pedagogia dos Jesuítas, o estudante tem uma formação personalizada que lhe possibilita enfrentar eventuais desafios de aprendizagem e desenvolver ao máximo suas potencialidades.

No Brasil, pela iniciativa de São José de Anchieta (Patrono da EMGE), os Jesuítas criaram o primeiro Colégio do Brasil, em 1554, no local que deu origem à Cidade de São Paulo, e a primeira universidade particular do Brasil, a PUC-Rio. 

Atualmente, a Rede Internacional de Universidade dos Jesuítas conta com mais de 200 (duzentas) instituições presentes no mundo todo. Isto significa: ensino personalizado com qualidade de excelência e intercâmbio acadêmico internacional com acesso ao que existe de melhor e mais avançado em Engenharia Elétrica no mundo atual.

 

Por que ser Engenheiro Eletricista?

O Engenheiro Eletricista se dedica a operacionalizar componentes eletroeletrônicos, circuitos, conversores de energia, eletromagnetismo, eletrônica analógica e digital, processadores e dispositivos de instrumentação elétrica, transmissão e recepção de sinais analógicos e digitais em projetos em geral. Assim, a Engenharia Elétrica está associada às engenharias tradicionais e à tecnologia, e especificamente à Engenharia Eletrônica, englobando um conjunto maior de conhecimentos, competências e habilidades.

Para isto, o Curso de Engenharia Elétrica visa contribuir ao desenvolvimento humano e social, bem como o progresso regional e nacional na medida em que suas práticas permeiam as exigências hodiernas mercadológicas que pressupõem valores ambientais agregados, bem como tecnologia avançada e fundamentada em práticas sociais e conhecimentos tradicionais das ciências exatas. Outro fator importante que se incorpora a este ramo da Engenharia é a habilidade tecnológica que pressupõe raciocínio lógico e sistêmico, que deverão ser empreendidos na consecução produtiva comprometida com os ramos empresariais e de prestação de serviço, uma vez que a qualificação do Engenheiro Elétrico é generalista e, por isso, indispensável à realização racional e equilibrada dos recursos disponíveis para o crescimento econômico e a otimização do trabalho.

 

Mercado de trabalho e área de atuação

O engenheiro eletricista possui uma ampla atuação nas áreas de eletrotécnica, eletrônica e microeletrônica, automação industrial e comercial, computação e telecomunicações. E um profissional muito valorizado, no Brasil, que prevê investimentos bilionários no setor elétrico. No setor público, as oportunidades estão tanto na geração de eletricidade, em hidrelétricas, termelétricas ou usinas movidas a biomassa, mas também na gestão e no aperfeiçoamento dos sistemas de transmissão e distribuição bem como nas instituições públicas representadas pelas agencias reguladoras e companhias de energia. O setor privado, por sua vez, com o advento da modernização dos serviços de telecomunicação e com a popularização da tv digital e transmissão de dados (internet) apresenta-se imensamente atrativo com excelentes oportunidades de emprego em empresas de telecomunicação, de tecnologia da informação e em construtoras. O setor industrial também está, cada vez mais, absorvendo o engenheiro eletricista, principalmente no pólos industriais das regiões sul e sudeste.

 

Perfil do Egresso

O perfil do egresso do Curso de Graduação de Engenharia Elétrica da EMGE, além de corresponder às diretrizes do Projeto Pedagógico da Instituição (PPI), deve também conter as características que configuram as metas do Projeto Pedagógico do Curso (PPC), conforme a seguir:

  1. Conhecimento em produção, transmissão, transporte e distribuição de energia elétrica, desenvolvendo aplicações para o seu uso eficiente;
  2. Capacidade de desenvolver diálogo interdisciplinar com diversas áreas relacionadas à Elétrica como sistemas de controle e automação, eletrônica de potência, computação e telecomunicações;
  3. Excelência em capacitação técnico-profissional na sua área de Graduação e de atuação profissional;
  4. Profunda formação humanística com conhecimentos interdisciplinares que o possibilitam uma compreensão do objeto de seu trabalho contextualizado e atualizado no meio social de sua localização;
  5. Conduta ética associada à responsabilidade socioambiental e profissional;
  6. Capacidade de apreensão de novos conhecimentos, através dos estudos e pesquisas, e de transmissão dos mesmos através da docência acadêmica;
  7. Habilidade profissional para equacionar problemas e buscar soluções inovadoras para as demandas profissionais e sociais;
  8. Conhecimento técnico para desenvolver permanentemente métodos e soluções de desafios aliando segurança científica com economicidade e responsabilidade socioambiental.

 

Coordenador

Profa. Dra. Aline Almeida da Silva Oliveira

Profa. Dra. Aline Almeida da Silva Oliveira

Coordenador do curso de Engenharia Elétrica

Possui Doutorado (2014) e Mestrado (2010) em Química Inorgânica pela Universidade Federal de Minas Gerais. Graduada em Química-bacharelado pela UFMG (2008) com graduação sanduíche em Regis University/USA (2007). Realiza pós-doutorado desde set/2014 e possui experiência na área de materiais nanoestruturados, materiais anfifílicos, catálise e química ambiental. Possui 3 patentes e 11 artigos publicados, além de outros submetidos recentemente. Possui experiência em docência (desde 2011) nas instituições CEFET/MG e UFMG. Vencedora do Prêmio Inventor Petrobrás (2013) e das competições de Empreendedorismo Tecnológico: Venture Labs Latin Moot Corp (2011), Idea to Product Global competition (2010) e Idea to Product Latin America (2010).

Currículo Lattes

Topo